História

Cantor, compositor e acordeonista, Júlio Cézar Leonardi é paranaense de Francisco Beltrão. Filho de Júlio Amadeu Leonardi, gaúcho rio-grandense, e Maria José Leonardi, nordestina de Pernambuco, neto de italianos e brasileiros, busca preservar em suas canções a alegria, as tradições e as raízes de sua descendência, sobretudo no que se refere à cultura do Sul do Brasil. Além da carreira musical, Júlio Cézar atua no rádio, como locutor e produtor de programas, desde 1985 até os dias atuais. Também foi bancário, entre 1990 e 2008, e apresentador de televisão, entre 2009 e 2014, sempre conciliando as atividades com a música. Atualmente, leva a cultura gaúcha a todos os rincões, através de dezenas de emissoras de rádio do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul que transmitem seu Programa “Fandangueando”, iniciado em 2009.

Os primeiros ensinamentos no acordeon foram dados por seu pai. Mais tarde, estudou sob orientação profissional, frequentando aulas particulares com o professor Antônio Araí, durante vários anos. Conheceu a arte de grandes mestres do acordeon, de vários gêneros musicais, e escolheu o gauchesco, influenciado, sobretudo, pelo estilo musical de Albino Manique, do grupo “Os Mirins”, e Gildinho, do grupo “Os Monarcas”, dentre outros.

Iniciou timidamente sua carreira musical em meados dos anos 90, animando diversas pequenas festas e matinés, apenas por diversão. Só em 1998 foi que recebeu seu primeiro cachê para animar um matiné, em Secção Jacaré, comunidade do interior de seu município, somente com sua gaita, seu pai tocando pandeiro, e Francisco Schuck tocando violão. Aquele era o ponto inicial de sua profissionalização na música. A partir dali, novos eventos foram surgindo, e a vontade de crescer na música, aumentando.

Gravou seu primeiro CD de solos de acordeon em 2001, intitulado “Júlio Cézar Leonardi”, embora nunca o tenha lançado no mercado. O disco foi produzido pelo próprio músico, com auxílio de seu mestre à época, Antonio Araí, e gravado no estúdio do amigo Lindomar Cataneo. É considerado um registro simples e valioso da execução de canções de sucesso de vários artistas, como “Bombachudo” e “Madrugada”, de Albino Manique, dentre outras, e faz parte apenas do acervo do artista e de alguns poucos amigos que foram presenteados, na ocasião, com o álbum.

Em 2006, gravou um novo álbum de solos de acordeon, dessa vez de sua própria autoria. Produzido por Luiz Carlos Lanfredi (Os Monarcas), este foi o primeiro CD lançado comercialmente a nível nacional e retrata sua primeira experiência como compositor, em melodias como “Dançando no Paraná”, “Prendinha Minha” e a faixa de maior sucesso, “Abraçado na Gaita”, que deu título ao disco.
Parecia que a carreira musical estava destinada unicamente aos solos de acordeon, mas, em 2008, Júlio Cézar decidiu investir definitivamente na carreira musical e criou o Grupo Fandangueiro, para acompanhá-lo em shows e bailes, com estilo tradicionalista e campeiro, buscando preservar a autêntica música gaúcha fandangueira e se tornar uma opção definitiva no segmento. 

No ano seguinte, em 2009, foi contratado pela Gravadora ACIT e fechou com Ivete Campagna e Edison Campagna a produção, editoração, divulgação e comercialização de seus próximos trabalhos. O primeiro fruto da parceria foi "Sou Fandangueiro", terceiro CD da carreira, desta vez com acompanhamento de seu próprio grupo. O álbum traz o estilo, a identidade e o compasso que Júlio Cézar apresenta nos fandangos, em músicas como “Meu Capricho”, “Simples Cantador” e “Gaiteiro Fandangueiro”. Mais que isso, retrata um dos momentos mais importantes da carreira: quando o músico emprega, pela primeira vez, a sua voz, em composições próprias e de outros compositores experientes do Sul.

Um ano após iniciar a veiculação, em 2010, surgiu a oportunidade de trazer o programa de rádio “Fandangueando” para o disco. A Gravadora ACIT lançou o CD "Fandangueando com Júlio Cézar Leonardi", uma coletânea com músicas de vários artistas, executadas com frequência no programa, incluindo algumas de Júlio. Verdadeiro sucesso de vendas, a coletânea foi importante para auxiliar a divulgar sua obra musical, em meio à de grandes intérpretes do Sul do Brasil. Crescia, também, o programa, que, gradativamente, vinculava novas emissoras à rede de transmissão.

Em 2011, chega ao mercado o quarto CD de Júlio Cézar Leonardi: "Minha Alma Cantadeira", mantendo o tradicionalismo puro e a linha fandangueira, retratos das raízes da cultura musical gaúcha, que são vertentes para o músico. Músicas deste trabalho, a exemplo de “Neste Inverno”, “Galo de Espora” e “É Coisa da Gringalhada”, foram muito bem recebidas pelo público, projetando o artista a altos índices de execução em rádios e plataformas virtuais e aumentando sua popularidade.

O álbum seguinte veio em 2016, mais uma vez pela Gravadora ACIT e com produção de Edison Campagna, trazendo composições inéditas do artista, preservando a alegria e o estilo fandangueiro. “Pras Bailantas” apresenta uma concepção madura do trabalho de Júlio e seu Grupo Fandangueiro na música, em canções alinhadas com o estilo próprio da equipe, como “Quando Monto em Meu Cavalo”, “A Marca Gaúcha” e “Águas Passadas”, deixando cada vez mais clara a sua identidade musical.

Uma nova proposta de trabalho surge em 2017: o grupo deixa de animar fandangos e passa a realizar somente shows (dançantes) com até duas horas de duração. O novo formato agora tem vocalistas femininas, dando um novo brilho às apresentações, tanto no aspecto visual, quanto na sonoridade. Faltava, agora, registrar essa nova estampa em um disco, o que aconteceria logo à frente, na gravação do sexto álbum.

O ano de 2018 também foi marcante, afinal Júlio Cézar comemorou 20 anos de carreira na música, no mesmo momento em que completava 10 anos de estrada com seu Grupo Fandangueiro. Um show emocionante, com a presença de convidados especiais remontou cenários dos momentos mais importantes, como o primeiro matiné, ocorrido 20 anos antes. Músicas que marcaram a carreira deram o clima ao espetáculo, que ficou registrado no DVD “Júlio Cézar Leonardi ao vivo: 10 Anos do Grupo Fandangueiro”.

O sexto CD da carreira veio no final do ano de 2019, em grande estilo: “Passando a História a Limpo” é um álbum duplo, com 26 músicas que haviam sido registradas nos três discos gravados com o Grupo Fandangueiro, como “Nas Águas da Vida”, “Da Marca Nativa”, “Compadre Velho”, “Quebrando Espinhaço”, em novas gravações, com novos arranjos, valorizando os vocais femininos e mostrando toda a essência da obra musical, ajustada ao padrão da formação atual da banda. Mais um fruto da parceria com a Gravadora ACIT, desta vez dirigido e produzido pelo próprio Júlio Cézar.

Novos projetos tomam forma, aos poucos. A inspiração é crescente, e inúmeras novas composições deverão ser registradas em discos, nos próximos anos. Além da continuidade na obra musical com o Grupo Fandangueiro, o músico pretende voltar a gravar álbuns de solos de acordeon, nos moldes daqueles primeiros trabalhos que lançou e que lhe trouxeram tantos fãs e apreciadores da música instrumental.

Em todos os momentos da carreira, tem sido fundamental o apoio incondicional da família e de amigos experientes, como Gildinho e Adelar Bertussi, mestres incentivadores presentes em cada etapa, com quem já teve a honra de dividir os palcos, em ocasiões especiais. A obra musical de Júlio Cézar Leonardi é dedicada especialmente a essas pessoas e a tantos outros que apostam em seu sucesso e admiram a simplicidade despretensiosa de suas composições. Sem se preocupar em exibir agilidade ou destreza, Júlio busca executar as músicas com expressão e precisão. Dono de um estilo simples de tocar, conhecedor de seu potencial e de suas limitações, procura tirar da gaita músicas agradáveis de ouvir e dançar, retratando a sua inspiração, seu sentimento e a essência da cultura gaúcha.


Sem se preocupar em exibir agilidade ou destreza, Júlio busca executar as músicas com expressão e precisão. Dono de um estilo simples de tocar, conhecedor de seu potencial e de suas limitações, procura tirar da gaita músicas agradáveis de ouvir e dançar, retratando a sua inspiração, seu sentimento e a essência da cultura gaúcha.
Desenvolvimento:
Active Soluções em Internet
Francisco Beltrão - PR
Telefone: (46) 3055-7584
" Uma integradora de produtos e serviços para a inteligência competitiva. "
w w w . a c t i v e s o l u c o e s . c o m